Para quem tem tempo!

Em doses letais


A tua razão de sorrir
Chego a sucumbir a minha
O pódio é-lhe baixo
Felicidade esta que eu tinha

Um quarto, só nós dois
Seja Torre de Babel
Falas para mim
Não falas para outro Miguel

E os se’s que foram e vieram
Questões colocadas que nunca se responderam

E as propostas de vida que teríamos em conjunto
Tanta coisa que falamos e nada é para ir ao fundo

E se ao fundo vamos e se ao fundo voltamos
Quero dizer-te (mais vale antes que nunca) que te amo

Era isto.
Nada mais.
Poemas simples.

Em doses letais.

Direitos:

Com tecnologia do Blogger.

Blog Parceiro:

BLOGS PORTUGAL:

Translate

Blogging